ASSOCIAÇÃO VALE D’OURO ESPERA COMPENSAÇÕES “POR MAIS UM ATRASO” NA ELETRIFICAÇÃO DA LINHA DO DOURO

0
274

A Associação Vale d’Ouro espera compensações “por mais um atraso” na eletrificação da Linha do Douro, reclamando “mais celeridade nos processos e contrapartidas pelo desrespeito a que a região tem sido sujeita nos últimos anos”.

 

Num comunicado, a associação diz “ter sabido que a calendarização prevista não faz qualquer esforço de mitigação pelos impactos que os sucessivos atrasos têm infligido na região”.

“A Associação Vale d’Ouro lamenta a sucessão de atrasos no que diz respeito aos investimentos da Linha do Douro. A eletrificação entre Marco e Régua tem sido o capítulo mais recente daquilo que a instituição considera um profundo e revoltante desrespeito pelo vale do Douro, por Trás-os-Montes e pelo Norte por parte dos decisores políticos e técnicos que teimam em desrespeitar a resolução da Assembleia da República que considerou inevitável e prioritário o investimento na Linha do Douro”, salienta.

O presidente da direção da associação, Luís Almeida, refere que “vê uma região farta de promessas por cumprir e cansada, desiludida e enganada enquanto assiste aos sucessivos recuos que o dossier da Linha do Douro tem tido, ora devido à inoperância do gestor da infraestrutura, ora devido à falta de intervenção do poder político”.

O dirigente associativo recorda que “em 2016 o projeto era anunciado para 2017 como sendo uma prioridade”:

“Se uma prioridade neste país demora oito anos a ser concretizada, já para não falar das promessas anteriores a esta, muitas coisas vão mal em Portugal” e continua, “ainda há cerca de um ano, em Baião, a Infraestruturas de Portugal comprometia-se com o início da obra no segundo semestre de 2022 e eis que aqui chegados, nem o concurso foi lançado”, perguntando:

“Até quando vamos aceitar que se atirem datas para cima da mesa e não vamos exigir o seu cumprimento? Compreendem-se algumas limitações do CCP e da conjuntura, mas estas não explicam todos estes atrasos. O Douro merece mais.”

A Associação Vale d’Ouro tem vindo a tomar posição sobre o contexto ferroviário na região Norte dando particular atenção à reabertura da Linha do Douro até Salamanca e à necessidade um novo corredor ferroviário para o pós-2030 entre Porto e Madrid, via Trás-os-Montes.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

two + one =