AUTARQUIA VAI LEVAR INFORMAÇÃO E APELOS À POPULAÇÃO BAIONENSE ATRAVÉS DE MEGAFONES

0
417

-Objetivo é garantir que ninguém fica sem acesso à informação 

Com a informação a circular de hora em hora pela internet, quem não tem acesso ao mundo virtual fica alheado da realidade. Com o objetivo de fazer chegar mensagens importantes a todos aqueles que não usam redes sociais, e com uma densidade populacional dispersa por cerca de 170 kms quadrados, a autarquia baionense tomou a decisão de fazer chegar alguns apelos com recurso a viaturas apetrechadas com altifalantes que vão percorrer todas as freguesias do concelho. 

Absolutamente consciente da importância da comunicação em tempos de pandemia, o presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, quer garantir que ninguém fica sem acesso à informação. De acordo com o edil baionense, “este método, a exemplo de cidades como Madrid e Bruxelas, que o usam com frequência, é um recurso que não é novo, uma vez que antigamente as mensagens áudio tinham um papel de destaque na distribuição de mensagens pela população, mas agora ganha de novo relevância pela importância que se revestem alguns apelos, que são urgentes”. 

Paulo Pereira explica que “com as medidas de contingência a mudar de hora a hora, devido à monitorização constante que as autoridades estão a fazer do evoluir do surto, a informação está a surgir a um ritmo alucinante e é preciso arranjar formas dinâmicas de a levar às pessoas. As redes sociais têm dado um apoio fundamental na partilha de informação mas nem todos têm acesso a elas, sobretudo os mais idosos. Garantir que todos estão informados é meio caminho andado”, diz. 

A primeira mensagem vai dirigida aos emigrantes que por esta altura estão a regressar de várias partes do mundo a Baião e que estão obrigados, pelas autoridades de saúde, a ficar em quarentena durante 14 dias. 

A Câmara Municipal e as Autoridades de Saúde de Baião apelam aos emigrantes “para tomarem cuidado porque o regresso com descuido pode colocar em causa a saúde da própria família destes baionenses, dos seus vizinhos e da comunidade em geral. Quem não cumprir a quarentena, incorre em crime de desobediência com prisão e multa”. De acordo com as autoridades de saúde “os recém-chegados devem isolar-se da sua família, ficando nomeadamente num quarto isolado e evitar fazer refeições junto da família até porque se pode estar sem sintomas e, mesmo assim, transmitir-se a doença aos conviventes”. 

Recorde-se que a Câmara Municipal de Baião criou uma Linha Especial de atendimento para apoiar todos aqueles que tenham dúvidas sobre os constrangimentos que a pandemia por Covid 19 está a operar no mundo e também em Baião. A linha funciona todos os dias da semana, através dos seguintes contactos: 255 540 500 nos dias úteis das 9h às 13h e das 14h às 17h ou 912032722 / 912031633 das 17h às 22h. Ao fim de semana das 10h às 12h e das 14h às 18h através dos números de telefone móveis. 

Paulo Pereira dá ainda conta de que, quem está sozinho, e é mais vulnerável, não está esquecido. “Em articulação com as Juntas de Freguesia de todo o concelho, estamos a acompanhar e a sinalizar eventuais casos de habitantes que necessitem da nossa ajuda para comprar bens essenciais como alimentação ou medicamentos”, garante. 


  

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

10 + 9 =