FILHO E NETO DE BAIONENSES É ATLETA MEDALHADO NO BRASIL

0
1132

João Magalhães é um atleta medalhado e consagrado no Brasil, onde nasceu, mas é em Viariz, no concelho de Baião, de onde são naturais os avós e o pai, que encontra “o local ideal para fazer os cerca de 50 quilómetros diários de treino”.

 

Com 23 anos, completados no dia em que o jornal “O Comércio de Baião” foi ao seu encontro, João corre maratonas e ultramaratonas de 40 a 100 quilómetros, em provas no Brasil e pelo mundo.

O gosto pela corrida surgiu, sobretudo, pela vontade de querer estar perto da família, depois de experimentar o futebol.

“Comecei no futebol, mas para não ficar longe da família escolhi um desporto que me deixasse mais próximo”, contou João Magalhães, salientando: “peguei gosto na corrida, treinei bastante é um desporto que depende unicamente de mim”.

Com vida estabelecida em Santos, a família, cuja mãe também de Baião, da freguesia de Loivos do Monte, regressa a Portugal ano sim ano não. Um regresso que João faz com gosto, apesar de destacar a diferença entre a grande cidade onde vive e o concelho de Baião.

“Para um jovem é uma grande diferença, não há tanto que fazer, mas gosto de estar cá, é um lugar onde me sinto bem e estou na paz”, disse.

A praticar atletismo há cinco anos, João Magalhães está em destaque no ranking mundial e já ganhou em alguns países do mundo. A curto prazo quer fazer história em Portugal, onde está a preparar a participação em algumas provas.

João corre pelo Clube Memorial, de Santos, cidade natal do jovem atleta, mas Portugal está sempre nos seus horizontes.

“Peço para vir para Portugal por causa das montanhas, das subidas e descidas, no Brasil, em Santos, é mais plano e obriga-nos a procurar os morros, que nem sempre são seguros”, anotou.

O objetivo principal de João é ser campeão do mundo de 100 quilómetros. “Estamos a trabalhar duro para isso, ainda sou novo, mas já estamos batendo algumas metas que almejávamos mais para a frente”, avançou.

Questionado sobre se vai levar a bandeira de Portugal juntamente com a do Brasil quando conseguir aquele feito, João foi perentório: “Sempre falei que sou dividido, não é à toa que gosto muito de cá. Minhas origens são daqui e estão com o coração dividido”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

three × five =